30
MAI.
2022

A importância do conforto lumínico nos empreendimentos

O conforto lumínico remete ao bom aproveitamento da luz, de modo que se contemple os ambientes com uma distribuição equilibrada da iluminação e os ocupantes com os benefícios proporcionados por esse recurso.

O conforto lumínico é composto por aspectos como a fonte, a intensidade, a tonalidade e a distribuição da iluminação, que exercem forte influência no bem-estar dos ocupantes de um espaço.

O bom aproveitamento da luz é essencial para evitar o desconforto, o estresse, a fadiga visual e demais problemas de saúde, especialmente na visão.

Para que um ambiente ofereça conforto lumínico, é importante que ele não possua contrastes excessivos ou muitas variações nos níveis de iluminação.

Na iluminação artificial de um espaço, por exemplo, o uso de luzes amarelas estimula a produção de melatonina, também conhecida como hormônio do sono, responsável por proporcionar boas noites de descanso e essencial para uma rotina saudável.

Estratégias de conforto lumínico nos interiores

Diversas são as formas de promover conforto lumínico nos interiores, o que inclui desde elementos do interior da construção até estruturas externas.

Pé-direito duplo: o pé-direito duplo favorece a entrada de luz natural e possibilita a instalação de janelas maiores e em maior número. A amplitude proporcionada contribui para o projeto lumínico do imóvel, possibilitando uma melhor distribuição de luz pelos interiores.

Áreas externas: ainda mais relevantes na reconfiguração dos lares após a pandemia, as áreas externas como terraços, varandas e jardins representam uma das principais estratégias de promoção do conforto lumínico.

Elas se destacam em uma rotina de saúde e bem-estar que inclui contato com luz natural, ar puro e vista para o exterior. O prolongamento de varandas e beirais, por sua vez, é um dos métodos de sombreamento para manter os interiores frescos e agradáveis.

Materiais da infraestrutura: em projetos contemporâneos, o vidro se destaca como um dos principais materiais que favorecem o conforto lumínico e a funcionalidade nos interiores. Além de proporcionar melhor visibilidade aos ocupantes, o vidro eleva o desempenho térmico e acústico da construção.

O conforto lumínico influencia também a disposição e a produtividade dos ocupantes de um espaço. O acesso à iluminação natural é essencial para o ciclo circadiano humano, que, quando entra em contato com a luz, nos deixa mais dispersos para a execução de tarefas.

Isso ocorre porque o relógio biológico do organismo humano é conduzido pela exposição lumínica. Quando ela é maior, os sensores da retina do olho bloqueiam a liberação da melatonina, hormônio que regula o sono.

A iluminação artificial é capaz de provocar um efeito semelhante nos interiores. Luzes brancas, por exemplo, são recomendáveis para espaços que demandam concentração e foco – neles, se tornam grandes aliadas do rendimento e da produtividade.

Dessa forma, o aproveitamento estratégico da iluminação em cada ambiente da casa é essencial para proporcionar conforto lumínico, bem-estar e demais vantagens ao dia a dia dos moradores.

Gostou? Compartilhe:
Deixe seu comentário:

Anterior

Próximo

Empreendimento Bloom Urban Habitat: Viva no Água Verde
Morando no Bairro Portão em Curitiba: Descubra as Vantagens e...
Estamos Online